FILHAS DE JÓ

                 As filhas de Jó

 

As primeiras  filhas de Jó deviam viver cercadas de privilégio e de honra entre seus irmãos.

Eram convidadas com frequência para participar com eles de banquetes com toda a família, e seu pai intercedia regularmente por seus pecados, conhecidos e desconhecidos.

Contudo , quando satanás começou a tentar Jó, todos os seus filhos foram mortos ao desabar sobre eles o telhado durante um banquete. Quando as provações de Jó terminaram, Deus lhe restaurou em dobro tudo o que tinha, exeto pelo número de filhos que tinha antes, sete filhos e três filhas .

Dos novos filhos de Jó, apenas o nome das filhas é citado:

Jemima  - quer dizer “rolinha”, nome usado com frequência para uma noiva, descrevendo suas formas esguias e bela voz.

Quezia - era o nome de uma planta aromática, a acássia, um tipo de canela de grande valor.

Quérem-Hapuque - era uma pintura de olhos, normalmente preta e de forma curva, usada para chamar a atenção para os olhos de uma mulher. Era provavelmente o equivalente ao deleniador dos dias de hoje . As filhas de Jó eram conhecidas por sua beleza incomparável.

A citação dos nomes das filhas em vez dos nomes dos filhos é incomum, bem como o fato de as filhas de Jó terem recebido uma herança junto com os irmãos. De acordo com a lei israelitas , era permitido que as filhas fossem herdeiras quando não houvesse filhos homens ( Nm 27:1-11 ) e ( Nm 36:1-13).

Assim a oferta de uma herança de Jó as suas filhas é um ato especial de graça. Esta herança permitiria que as filhas continuassem no meio da família com seus irmãos e que desfrutassem do relacionamento próximo e afetuoso que havia entre eles.

Alguns comentaristas especulam que tal herança era um sinal de nova e enorme riqueza de Jó, enquanto outros vêem  o gesto como um sinal da generosidade que nasceu de seu sofrimento. Ainda outro sugeriu que se tratava de um sinal de gratidão por sua nova família.

Certamente, ao longo de sua provação, Jó havia aprendido a ir além do que estava escrito na lei, achegando-se ao Autor da lei, que, no final, não pagou a Jó o salário que merecia , mas sim, o recompensou de acordo com sua graça.