RAINHA MICAL


             

                       AMARGURADA E DESPREZADA          

            



Mical, filha de Saul, não teve filhos até ao dia de sua morte." - II Samuel 6:23

Mical, filha de Saul e mulher de Davi, é um ícone bíblico de alguém que fracassou na vida emocional e, como uma conseqüência disto, terminou em frustração e esterilidade.
A sentença de II Samuel 6:23 é mais do que o registro de uma fatalidade. Esta mulher morreu estéril porque esta foi, de alguma maneira, a sua escolha. Eu diria que sua improdutividade ia além do aspecto físico. Sua vida tornou-se em sequidão de estio e a partir de determinado momento, ela não conseguia apresentar mais do que mal humor, crítica e frieza de coração.

Quando lemos o capítulo 6 de II Samuel, podemos ter uma idéia de sua postura, embora conhecesse a Deus. No versículo 16, encontramos o seguinte relato: "Ao entrar a arca do SENHOR na Cidade de Davi, Mical, filha de Saul, estava olhando pela janela e, vendo ao rei Davi, que ia saltando e dançando diante do SENHOR, o desprezou no seu coração". Isto resume bem o estado de alma em que esta mulher vivia. Havia um avivamento em Judá. O povo celebrava o retorno da arca da aliança nas ruas, mas Mical observa tudo de longe, da janela de sua frieza e rebeldia. Estava lá, cheia de crítica, desprezando Davi em seu coração. Depois, quando seu marido chega em casa, ela o chama de "sem vergonha" e "vadio" (vs. 20), demonstrando um nível extremo de inadequação aos princípios eternos.

Quando lemos que ela terminou a vida estéril, devemos compreender isto como uma conseqüência do estado de alma a que Mical se permitiu chegar. Não era uma fatalidade. Era um fruto!

Há muitos crentes, inclusive líderes e pastores, que vivem assim hoje. Não conseguem frutificar, prosperar, ganhar vidas, multiplicar células, levar avante projeto algum. Tornaram-se estéreis e alguns estão a ponto de abandonar tudo, se ainda não o fizeram. Porque? Qual o motivo de tamanho fracasso na história de gente que conhece ao Senhor?

A esterilidade (não me refiro ao aspecto físico, mas a uma "amarração" na vida de muitos crentes) quase sempre tem uma fonte emocional. No caso de Mical, sua frieza, apatia espiritual e rebeldia tão explícitas nasciam de uma raiz de amargura. Sua esterilidade era só o fruto final desta raiz.

Eu diria que ela tinha motivos para chegar ao estado em que chegou. Se fizermos uma análise da sua história, perceberemos que esta mulher sofreu muito e não soube lidar com suas decepções, não as tratou debaixo da graça de Deus. Mical foi usada por seu pai como uma "isca" para acabar com Davi. Saul praticamente a vendeu. Depois de casada, o homem a quem ela amava a abandonou, a tal ponto de que acabou sendo dada a outro. Enquanto isto, em sua fuga Davi colecionava outras mulheres... Quando Mical estava começando a reconstruir sua vida, agora com Paltiel, seu pai morre e Davi assume o trono de Judá. Qual sua primeira atitude? Mandar trazê-la à força para ser sua mulher, não mais a única, mas uma entre várias outras...

Convenhamos, Mical tinha motivos para ser incrédula, fria e rebelde. Uma raiz de amargura havia crescido em seu coração e agora seus frutos estavam evidentes. Porém, diante de Deus, uma coisa é ter motivos e outra completamente diferente é ter razão. A Bíblia nos diz: "Tendo cuidado para que ninguém se prive da graça de Deus e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe e por ela muitos sejam contaminados" (Hb 12:15). Note: uma raiz de amargura tem o poder de nos perturbar e de contaminar a outros. Ela, porém, opera quando nos privamos da graça de Deus.

Quando digo que Mical tinha motivos, mas não tinha razão para viver sob a maldição da esterilidade e da frustração, baseio-me no fato de que a graça de Deus poderia libertá-la, curá-la e fazê-la andar em novidade de vida. Entretanto, ela (como muitos hoje) preferiu viver "lambendo suas feridas", ao invés de levá-las ao altar do Senhor.

Não sei como está a sua vida, mas imagino que você já tenha sofrido muitas feridas. É provável que muitas decepções já tenham lhe machucado. O que vai fazer com elas? Cultivá-las como uma raiz que gera frieza, apatia, rebelião e esterilidade ou levá-las a Deus para que Ele as arranque e libere sua vida para a frutificação. A escolha é sua. Você decide...

Aprendendo um pouco com esta mulher, sabemos como devemos ou não devemos agir para que venhamos ser mulheres, segundo o coração de Deus e façamos somente a Tua vontade . Devemos deixar de lado as mentiras, idolatrias sejam quais forem , nenhum tipo agrada a Deus, e por sua vez; existindo em nossas vidas , nos trás maldições. Mas... se agirmos conforme a vontade de Deus então ELE quebrará toda e qualquer maldição decorrente destas atitudes.


Um abraço minha amada !