MARIA MADALENA

                                                                   A AMIGA DE JESUS
                                                                    

"E algumas mulheres que haviam sido curadas de espíritos malignos e de enfermidades: Maria, chamada Madalena, da qual saíram sete demônios" (Lucas 8:2).
Ao ler sobre a vida de Maria Madalena, descobrimos que ela se dedicou, totalmente, ao Senhor. Este é um lindo exemplo de dedicação que todas nós devemos seguir.
Antes de conhecer ao Senhor, ela tinha uma vida miserável. Morava numa cidade que ficava a oeste da Galiléia, chamada Magdala. Ela não era uma mulher feliz, nem se parecia com as outras mulheres que moravam ali. Ela era uma mulher possuída por vários demônios. Apesar desta vida de sofrimento e pesadelos, ela, um certo dia, ouviu a voz dAquele que iria tirá-la para sempre do mundo das trevas e colocá-la no mundo da luz. Jesus libertou-a daqueles demônios que a atormentavam e dominavam e a transformou numa nova criatura...
"Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo" (2 Coríntios 5:17).
Agora, Maria Madalena saiu daquele mundo de pecado e se tornou uma nova criatura. Tudo ficou para trás.
Ser amiga de Jesus era seu principal objetivo. Ela, de todo o coração, estava agradecida ao Senhor por tudo que Ele fizera por ela. Olhando para o seu passado, jamais poder-se-ia imaginar que Jesus se tornaria seu amigo. Ela, a nossos olhos, seria uma amiga improvável mas Deus nos diz... "Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor" (Isaías 55:8). Amém! Jesus não é como eu sou que olho só para a aparência. Jesus conhece a sinceridade do coração de cada um de nós.
Como Maria Madalena se tornou uma mulher profundamente agradecida ao Senhor! Sua vida foi restaurada e ela, agora, desejava servi-Lo para sempre.

O Senhor, diariamente, cuida de nós. Procuremos servi-Lo, amá-Lo e segui-Lo por onde quer que Ele nos queira levar.
Abramos as nossas Bíblias e procuremos ver o que Ele tem para nos dizer na Sua Palavra.. Leiamo-la, diariamente, e nos tornemos servas fiéis e amigas verdadeiras dEle porque "... vivo , não mais eu, mas Cristo vive em mim" (Gálatas 2:20).
Só temos que, assim com Maria, agradecer a Deus porque... "Prossigo... esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim" (Filipenses 3:12-13). É bom saber que tudo que me aconteceu no passado, Deus não mais se lembra. Agora, Ele procura substituí-lo por uma vida transformada através do Seu sangue remidor de Jesus
Maria Madalena seguiu, fielmente, Jesus por três anos. Ela, com outras mulheres, O servia e sustentava com os poucos recursos que possuía. Para ela, estar convivendo com o próprio Deus era um céu... ouvir Seus ensinamentos, crescendo cada dia mais, ver seus milagres e viver encantada com tamanho poder.
O que mais Maria desejava em sua vida? Nada poderia satisfazê-la mais do que seguir a Jesus passo a passo.
Muitas de nós seguimos a Jesus um passo sim e um passo não. Este nosso caminhar não agrada a Deus. A nossa dedicação a Ele deve ser total.
Como Maria estava sempre com o Senhor, ela pôde, então, vê-Lo sendo preso por causa da traição de Judas, sendo açoitado, acorrentado, tendo em Sua cabeça uma coroa de espinhos. Ela foi testemunha dos momentos em que Ele ficou calado nada fazendo por Si mesmo. Ele tinha uma missão a cumprir. Ele tinha que tornar real o plano que Deus tinha para nos salvar porque "sem derramamento de sangue não há remissão" (Hebreus 9:22b). Se ela sabia de tudo isto, não sei, mas a verdade é que ela estava...
1- entre as mulheres que assistiram à morte de Cristo;
2- entre as mulheres que viram Nicodemos e José de Arimatéia tirarem o corpo já morto de Jesus da cruz;
3- entre as mulheres que os viram envolver o Senhor morto em mirra e aloés;
4- entre as mulheres que viram o sepulcro do Senhor ser fechado com uma grande pedra.
Maria perdeu, de maneira cruel, o seu Senhor, o seu Salvador, o seu Amigo. Sei que não existe dor maior do que ver a pessoa que se ama, morrer.